Helena Arcoverde

O país da mentira

Posted in Crônica by helenarcoverde on 02/10/2015

Por Helena Arcoverde

Um país fracassa quando seus programas – em especial os da saúde e educação – propõem o que sabem nunca farão. O Brasil é um país em que seu povo caminha celeremente para a mendicância, para o desacreditamento dos poderes, para o abandono de seu bem mais precioso: seu povo. E em que a saúde e a educação se fazem cada dia mais inconsistentes. Um pais nao é digno se seu povo vagueia em busca do atendimento de suas necessidades básicas.

Foi pensando em tudo isso que me vi tristemente escrevendo esse texto. Decerto minha avó diria que poderia ter sido pior se eu tivesse nascido em outro país. Mas nem isso me consolaria de estar nessa nação de tantos fingidores, em que talentoso é ser esperto. Desconsolada, essa é a palavra que exprime meu desencanto.

Com políticas públicas que literalmente brincam com a inteligência de muitos, eu certamente nasci no país da mentira.  Certamente, se me fosse dada outra chance eu pediria para nascer bem longe, onde o ultraje de um fosse o de todos, onde a escola fosse o palanque da liberdade e reflexão (e em que o aluno fosse a principal estrela da escola), onde a dor de um fosse a preocupação de todos.

Ninguém é o que não se propôs a ser. O Brasil quis ser o país dos espertos e tanto fez que acabou sendo dominado por eles. E nada mudará em um país em que ser vencedor é conseguir se safar depois de transgredir, em que as políticas públicas não passam de mais uma mentira, em que vencer pressupõe destruir. E eu, que cantava o hino no pátio da escolar, agora penso que deveria ter fingido que cantava, ao invés de acreditar que “Do universo entre as nações resplandece a do Brasil”.

Anúncios