Helena Arcoverde

Adeus, Jerry

Posted in Crítica by helenarcoverde on 23/04/2017

Por Helena Sobral Arcoverde
Os galãs não resistem à dor, aos chambres que carimbam os doentes, à solidão dos vãos hospitalares. Jerry Adriani – por décadas- foi o galã das mocinhas que hj prefeririam os MCs. Nenhuma novidade na morte, ela se instaura até nos mitos, ela os destrói como se fossem quaisquer mortais. Ela se vinga pela fama, sem nenhum glamour. Em algum auditoria das cidadezinhas quaisquer outros jerris surgirão, confiantes que ainda demorará o dia em que se igualarão a todos os outros que viveram no espaço do anonimato. Adeus, Jerry.

Chiado Editora lança antologia de poesia Além da Terra Além do Céu

Posted in notícias by helenarcoverde on 02/04/2017

manhãzinha

Posted in Poesia by helenarcoverde on 01/04/2017
por helena sobral arcoverde
os rastros da manhã se estraçalham
sob a intolerância da claridade
`a mercê da rua, me alinho com a terra do acostamento
com o gato na cumeeira
com o constrangimento das margaridas
maltratadas pela geada da noite
com o reacender dos galhos
sob o ímpeto do dia