Helena Arcoverde

nada incomum

Posted in Poesia, Uncategorized by helenarcoverde on 23/08/2018

by helena sobral arcoverde

quero uma vida igual
a cortina levantando as pontas
quando o frescor a importunar
quero igreja aos domingos
o amor sem palavreamentos
comer pipoca no sofá
vendo filminho barato
quero trocar olhares
com quem nem deveria
quero ver as nuvens
ao final da tarde
e decifrar cada uma
imaginando sinais
que não existem
quero nada incomum
para os dias que sobram
Anúncios