Helena Arcoverde

Entre a cruz e a espada

Posted in Crônica by helenarcoverde on 20/05/2015

Por Helena Arcoverde

Entre a cruz e a espada. Assim, o mercado de trabalho busca atalhos para fluir no estreito espaço entre a política econômica brasileira atual e os efeitos da internacionalização. Nesse processo, quase todos perdem. Um dos fatores mais prejudiciais se refere `a transição – já deflagrada – entre um capitalismo ainda por se consolidar e os arrufos de uma política hostil ao desenvolvimento da iniciativa a privada. Poderia se dizer que a relação do governo com relação ao empresariado é calcada na postura daquele que ama o filho – os frutos – mas não gosta dos pais- os provedores. Assim, é imperioso que a política econômica do país se defina- se puder- pois, nesse compasso, a União também irá `a falência e a população, como sempre historicamente ocorre, pagará a conta, que, já se sabe, está bastante alta.

Anúncios

Jogo de empurra (última versão)

Posted in Crônica by helenarcoverde on 14/06/2013

Por Helena Arcoverde

Os processos se repetem sob égide diversa. As ordens terminam tendo as mesmas raízes: a intolerância, o mando, o controle. Os relacionamentos de aparência se assemelham, por exemplo, à arrumação feita pelos governos para, amparados por dados estatísticos usados sempre a favor, fazer parecer que a casa está arrumada. Os conflitos surgem para mostrar que nada anda bem como parece. Ninguém é vitorioso governando alguns e abandonando muitos outros. E nem precisavam os protestos para mostrar a agonia da população, bastava observar a imposição do silêncio, a barganha, a falta de compromisso com a pluralidade e o bem estar de “toda” a população. O preço da passagem é uma questão que esconde muitas outras, uma insatisfação que estourou porque não poderia mais ficar guardada. A batata quente está passando de mão em mão e, claro, o jogo é de empurra. E agora se espera que a força não se instale porque se alguém tiver que ser punido muitos cargos ficarão vazios e muitos casamentos desmoronados publicamente. Entrar no céu à força pode não ser um caminho tão vitorioso como se pensa. E, ai, meu bem, só chamando a polícia.

Jogo de empurra

Posted in Crônica by helenarcoverde on 14/06/2013

Por Helena Arcoverde

Os processos se repetem sob égide diversas. As ordens terminam tendo as mesmas raízes: a intolerância, o mando, o controle. Os relacionamentos de aparência se assemelham, por exemplo, à arrumação feita pelos governos para, amparados por dados estatísticos usados sempre a favor, fazer parecer que a casa está arrumada. Os conflitos surgem para mostrar que nada anda bem como parece. Ninguém é vitorioso governando alguns e abandonando muitos outros. E nem precisavam os protestos para mostrar a agonia da população, bastava observar a imposição do silêncio, a barganha, a falta de compromisso com a pluralidade e o bem estar de “toda” a população. O preço da passagem é uma questão que esconde muitas outras, uma insatisfação que estourou porque não poderia mais ficar guardada. A batata quente está passando de mão em mão e, claro, o jogo é de empurra. E agora se espera que a força não se instale porque se alguém tiver que ser punido muitos cargos ficarão vazios e muitos casamentos desmoronados publicamente.