Helena Arcoverde

A vingança de Lobato

Posted in Crônica by helenarcoverde on 07/02/2015

Por Helena Arcoverde

Dizem que “nada é por acaso”. Entre a precisão da ciência e os desígnios do cosmo, ficarei com o acaso sombrio ao me reportar “A vingança de Lobato”. Em um curto espaço de tempo, o escritor foi injuriado duas vezes: a primeira quando teve sua obra lançada a fogueira pelos defensores irracionais do “politicamente correto”. A segunda, quando da desmoralização do petróleo brasileiro, pelo qual lutou e foi preso, em 1941, durante a gestão do ex-presidente Getúlio Vargas. Mas, dizem também que o Universo possui leis próprias (e severas), muitas delas ainda longe do entendimento da maioria. Qual seria, então, a “vingança de Lobato”? Apesar do espírito arrebatador do autor, provavelmente nenhuma, pois ele decerto sabe que – quando não se vislumbra nenhuma possibilidade de justiça – a única opção é a espera e, nesse quesito, Monteiro Lobato estará a frente de seus detratores.

Anúncios

Pra diante que as malas batem?

Posted in Crônica by helenarcoverde on 02/02/2015

Por Helena arcoverde
A vitória de Eduardo Cunha para a presidência da Câmara dos Deputados foi um marco importante interrompendo momentaneamente a sequência de más notícias que rondam o país nos últimos anos. Embora não se possa assegurar que essa gestão será isenta e compatível com o que se almeja deste cargo, os indícios são de que haverá menos subserviência dessa instância com relação ao partido do governo – uma tentativa de ruptura histórica desde que o Partido dos Trabalhadores “se instalou na presidência”.
A tenacidade de Eduardo Cunha contrasta com a gestão do presidente do Senado, Renan Calheiros, que poderá, além de continuar fazendo mimos ao Palácio, comprometer, com o desdobrar dos escândalos que assolam o país, o PMDB.
A ex-organizadora da minha casa sempre me lembrava de que “pra diante que as malas batem”. Se assim for, provavelmente se verá que a eleição de Eduardo Cunha foi um indício de que o PMDB pretende, aos poucos, sair de um barco que optou por andar em águas cada vez mais perigosas, capazes de salpicar lama para todo lado. E, vamos combinar, manter uma certa independência rende mais e possibilita pular do barco antes que seja tarde demais. Oh, Eduardo, aproveite a fama e – por favor – não se intrometa no mundo virtual, ele é escorregadio e afoito.

O retorno aos ringues

Posted in Crônica by helenarcoverde on 01/02/2015

Por Helena Arcoverde

Sobretudo com leveza e elegância ele plainou no ringue de Las Vegas. Não se sabe se teria vencido alguém mais preparado para a luta do que Nick Diaz, o certo é que as pernas de quero-quero saltitaram “em busca do tempo perdido” trazendo alento a um país sem mais glórias. Com um retorno definitivo ainda incerto, o brasileiro está novamente apaixonado por Anderson Silva. E, quem sabe, Las Vegas também.